• Últimas Notícias

    Como surgiu a imagem da Justiça vendada?

    Dice_Justica_Grega


    A concepção de Justiça passa pela egípcia Maat. Contudo, é com os gregos e romanos que Dice, Têmis e Lustitia passam a ser a representação da imposição e do equilíbrio para todos, conforme a lei.

    Não é raro, ao se viajar por exemplo, para Brasília, capital do Brasil e encontrar uma estátua vendada. Em uma de suas mãos, se encontra a espada, enquanto do outro a balança. Tal estátua fica na Praça dos Três Poderes, em frente ao Supremo Tribunal Federal. Mas é claro que não é exclusividade do Brasil. O conceito de justiça, ao qual esta imagem está ligada vem de muito tempo atrás. Os egípcios já tinham em mente o conceito de justiça "igualitária", onde a venda ignora o que a pessoa é. Os gregos e romanos contudo, foram os que levaram esta tradição até os dias de hoje. Não por menos, a estátua da justiça nada mais é do que uma miscelânea destes três povos.

    Quando se pensa em Justiça, você vem a mente a palavra juiz ou magistrado. Saiba que a segunda tem origem no Egito Antigo com a deusa Maat. Cabe a ela o principal mito egípcio do pós-vida. Quando o morto chegava ao Salão do Julgamento, seu coração era pesado em uma balança sagrada. Seu coração deveria ser mais leve do que a pena da deusa. Isso significaria a pureza de sua alma e a chance de entrar no pós-vida, como acreditavam os egípcios. Se, no entanto, seu coração fosse pesado, ele era devorado pelo monstro Ammit, e sua existência seria apagada para sempre. Logo, Maat representava não só o equilíbrio, por sua ligação óbvia com a balança, como também com o julgamento das ações humanas. Nem mesmo Osíris, quem presidia a seção e era o Senhor do Mundo dos Mortos ousava se opor aos seus julgamentos.

    Maat_Julgamento_Justica


    Na mitologia grega, existe um erro frequentemente adotado, já que Têmis é colocada como a personificação da justiça e é ela normalmente a representação principal da Justiça. Sendo uma titã, era filha de Gaia e Urano, irmã de Cronos. Seu papel era de ser a personificação dos juramentos humanos e da busca pela lei. Sua representação é de uma entidade vendada, demonstrando seu comportamento imparcial, e a balança em uma de suas mãos, mostrando o equilíbrio. Contudo, não existia uma espada, e sim uma cornucópia. Mais a frente, com o desenvolvimento da mitologia grega, sua filha Dice foi tomando o posto como deusa da justiça, ou melhor, como a deusa mantenedora da lei e vingadora de suas violações.

    Os gregos, responsável por parte do mapeamento das estrelas, mantiveram presentes até o dia de hoje seus mitos na Astronomia. A Constelação de Virgem, uma das 12 do zodíaco é dedicado ao mito de Têmis ou da ideia de justiça. Desgostosa de como o comportamento humano andava para o caos, a deusa saiu da terra e foi morar no céu. Contudo, levou sua balança, representando o equilíbrio de suas ações. Assim sendo, era essa a explicação de como as constelações de Virgem (representando Têmis) e de Libra (representando a sua Balança) sempre se encontravam próximas.

    Dice_Justica_Deusa

    É com Dice que temos a representação da deusa com uma espada em uma mão e a balança na outra. A espada agora, por Dice ser a vingadora da lei representava a imposição da justiça. Goste ou não, o conceito é de que quando algo se coloca ao Judiciário, ele será julgado e recairá sobre todos, mesmo que tal sentença não seja do agrado de uma das partes. Já em Roma, Dice foi transformada em Lustitia, que percebe-se a proveniência da palavra justiça e do termo juiz. Aqui, Lustitia também se mantém de olhos vendados, com o mesmo significado, a imparcialidade e a igualdade de todos perante a lei. Contudo, na Roma Antiga existia até um dia para o seu culto, o dia 8 de Janeiro, onde se acendia um incenso de lavanda em sua homenagem.

    Como é possível perceber, os gregos e romanos possuem semelhantes entre suas mitologias. Não por menos, Éris e Discórdia, Hades e Plutão, Poseidon e Netuno são as mesmas deidades, porém com nomenclaturas diferentes e com mitos distintos, embora os romanos tenham anexado muito dos gregos. Com Lustitia também não foi diferente. Ela e sua contra parte grega se diferenciavam pouco, mas mesmo assim eram de certa forma distinta. Dice era representada de forma mais impositiva do que a romana, já que a espada era sua fiel escudeira. Com Lustitia, era comum sua apresentação sentada, de olhos vendados. Contudo, a balança era segurada nas duas mãos. Isso vinha do conceito romano da busca entre o equilíbrio do abstrato e do real (as duas partes da balança). Por isso, quando encontrar uma imagem dessas, tire uma foto e saiba que está do lado da justiça.

    Nenhum comentário

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad