• Últimas Notícias

    Qual o brinquedo mais perigoso já inventado?


    Gilbert_Brinquedo_Mais_perigoso

    Quando o assunto é brinquedo perigoso, Alfred Gilbet é sem dúvida mestre. E seu kit de Laboratório Nuclear permitia que uma criança brincasse com urânio, altamente radioativo.

    Quando se é criança, prateleiras coloridas e cheias dos mais diversos brinquedos atraem a atenção. Se você já é adulto sabe como é difícil suportar uma criança após entrar em uma loja como as Lojas Americanas. Se você já é adulto, sua mãe já deve ter te falado que "depois a gente compra". E esse depois você espera até agora, vinte anos depois. Pois bem,  hoje a produção de brinquedos passa por uma série de verificações para a segurança da criançada. Dos materiais para sua produção, até embalagem ou sua forma. No Brasil, temos o Inmetro, que define inclusive a idade mínima para que tal brinquedo seja consumido de forma correta. Contudo, estamos falando do século XXI, período recente e que nada tem de igual com pelo menos cinquenta anos atrás. Dificilmente, o brinquedo mais perigoso já produzido passaria pelas fiscalizações do Inmetro ou de qualquer outro órgão fiscalizador.

    O nome do brinquedo é Gilbert U-238. Seu produtor foi Alfred Carlton Gilbert, que na primeira metade do século XX foi um dos maiores produtores de brinquedos dos Estados Unidos. Sua companhia foi fundada em 1909, em Westville, em Connecticut. E é dela sem dúvida os brinquedos mais surreais já produzidos. O Gilbert U-238 tinha um sub nome; Laboratório de Energia Nuclear. E detalhe, não tinha especificações de idade. No caso, era apropriado para todas as atividades. O brinquedo era constituído de uma maleta em que a criança poderia brincar com objetos radioativos de verdade, montando um mini laboratório de energia atômica. O nível de surrealismo é impressionante, mas este brinquedo de fato chegou as lojas, e embora tenha durado pouco, ainda assim vários exemplares foram vendidos para famílias dos Estados Unidos.

    Gilbert_laboratorio_Brinquedo_Mais_perigoso


    Dentro da bendita maleta, as crianças contavam com um livro, que falava sobre todos os materiais radioativos que estavam em seu brinquedo. Além disso, um contador Geiger vinha em anexo. Tal instrumento é usado para alertar sobre o limite de radiação nas proximidades. Porém, a cereja do bolo vinha com os quatro tipos diferentes de Urânio, o mesmo elemento usado em bombas atômicas. Na tabela periódica, o Urânio tem o número de Massa 238 e sua letra é U. Temos então o motivo real do brinquedo se chamar de Gilbert U-238. Cada um dos minérios de Urânio era responsável por emitir partículas alfa, beta e gama. Indo para o lado da química, a presença de um humano próximo a uma fonte radioativa de urânio já não é recomendada, mas a presença de partícula gama é ainda pior.

    A nível de proteção, as partículas Alfa podem ser bloqueadas com uma folha de papel. Então, o tecido da roupa pode facilmente poder a criança e os adultos envolvidos no kit deste brinquedo. A radiação beta já não é tão simples, ultrapassando chumbo com menos de 2 mm de espessura. No corpo humano, ela não consegue chegar ao nível atômico, mas ainda assim pode levar a queimaduras e outros efeitos. Porém, a radiação gama pode penetrar praticamente qualquer coisa, com exceção de paredes super grossas de concreto. Seus efeitos chegam ao nível celular, podendo mutacioná-las. Essa é uma das premissas por exemplos para o aparecimento de tumores e do câncer. Essa quebra de partículas e as emissões de raios alfa, beta e gama podiam ser observadas. Mesmo com tais reações ocorrendo a velocidades próximas da luz, uma câmara de nuvem deixava a criança ver tais reações.

    Gilbert_laboratorio_Brinquedo_Mais_perigoso

    Com todos estas controvérsias para as crianças, o brinquedo não chegou a ter um legado tão grande quanto outros produzidos por Gilbert. Em sua época, ele custava 49 dólares.hoje cerca de 520 dólares. Se você ainda acha que o brinquedo não era o ápice da periculosidade, saiba que o urânio é instável. Isso é, ele normalmente pode decair e produzir outro elementos, e liberar radiação sem você querer. Com uma criança brincando com um pote desse minério, ele sem dúvida seria atingida a todo momento por essa radiação. Essa exposição podia levar as mais variadas mutações. Sejam elas de espécie renal, neurológica, hormonal, pulmonar, óssea, reprodutiva, hepática, imunológica, sanguínea e cardiovascular. No fundo, era um ótimo brinquedo, se você queria matar o seu filho mais cedo. Ou todos que estivessem na casa com ele.

    2 comentários:

    1. Eu vi esse brinquedo no vídeo do Felipe Neto, quando ele fala de brinquedos. Você também curte ele?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigado pelo comentário.
        Sim, eu assisto não somente o Felipe Neto como outros. Como você pode perceber, as curiosidades colocadas aqui sempre tem relação com situações que aconteceram, ou simplesmente é do meu gosto. Mas você pode mandar também perguntas, sinta-se livre nesse quesito.

        Excluir

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad